Os Trabalhistas

+55 86 9 8113-1500 ostrabalhistas@gmail.com

Menu
A origem da palavra “Sabotagem”

A origem da palavra “Sabotagem”

Por em Colunas, Notícias, Raphael Miziara, últimas Data 26 de novembro de 2018


Sabotagem deriva da palavra francesa saboter, que significa “caminhar ruidosamente” que, por sua vez, deriva de sabot, um calçado com sola de madeira, ou seja, um tamanco.

Uma das primeiras aparições da palavra sabot pode ser encontrada no “Dictionnaire du Bas-Langage ou manières de parler usitées parmi le peuple” (Dicionariário de baixa língua ou maneiras comuns de falar entre as pessoas) do linguista Charles-Louis D’Hautel, editado em 1808.[1]

Há referências também no dicionário do francês Émile Littré (1801-1881), no seu dicionário da língua francesa, editado em 1873 (cf. LITTRÉ, Émile (1873–1874). Dictionnaire de la langue française. Hachette. p. 1790).[2]

Mas, foi no final do século XIX que a palavra passou a ser mais utilizada. Em 1897, Émile Pouget, um famoso sindicalista anarquista, escreveu no Le Père Peinard, um jornal hebdomadário de cunho anarquista, o texto “Ação para sabotar um emprego” e, em 1911, escreveu o livro “A Sabotagem”, que começa com as seguintes palavras:

Le mot ‘sabotage’ n’était, il y a encore une quinzaine d’années qu’un terme argotique, signifiant non l’acte de fabriquer des sabots, mais celui, imagé et expressif, de travail exécuté ‘comme à coups de sabots’. Depuis, il s’est métamorphosé en une formule de combat social et c’est au Congrès Confédéral de Toulouse, en 1897, qu’il a reçu le baptême syndical. (POUGET, Émile. Le Sabotage. 1911, p. 3).[3]

Historicamente, nas disputas trabalhistas no começo do século passado, na tentativa de paralisar a engrenagem das máquinas, os trabalhadores jogavam seus sabotsnas máquinas para danificar as engrenagens. Em razão disso, a prática de danificar os meios de produção, de propriedade do empregador, consistente em lançar os sabotsno maquinário, ficou conhecida como sabotagem.

Logo, atualmente, a expressão é utilizada para designar a prática dos empregados de destruir ou danificar as máquinas dos empregadores. No mesmo sentido, Amauri Mascaro Nascimento leciona que a sabotagem ficou sendo o nome atribuído ao ato pelo qual os operários, com a utilização de tamancos, deliberadamente inutilizavam as máquinas com que trabalhavam, como protesto contra o empregador.[4]

 

Referências

[1] Charles-Louis D’Hautel, Dictionnaire du Bas-Langage ou manières de parler usitées parmi le peuple. t. II, D’Hautel et Schoell, 1808. Disponível em: <https://gallica.bnf.fr/ark:/12148/bpt6k5406698m?rk=42918;4> Acesso em: 25/11/2018.

[2] As páginas originais do dicionário podem ser consultadas em: <https://gallica.bnf.fr/ark:/12148/bpt6k54066991/f401> Acesso em 25/11/2018.

[3] Em tradução: A palavra sabotagem era, quinze anos atrás, apenas uma gíria, significando não o ato de fazer cascos, mas a expressão expressiva e imaginativa do trabalho feito com ‘tiros de cascos’. Desde então, ele se transformou em uma fórmula de combate social e foi no Congresso Confederal de Toulouse, em 1897, que recebeu o batismo sindical. A página original está disponível em <https://gallica.bnf.fr/ark:/12148/bpt6k245539/f4.image> Acesso em 25/11/2018.

[4] NASCIMENTO, Amauri Mascaro. Compêndio de direito sindical. 8. ed. São Paulo: LTr, 2015. p. 506-508.


Sobre o autor

Raphael Miziara
Raphael Miziara

Advogado e Professor em cursos de Graduação e Pós-Graduação em Direito. Autor de livros e artigos jurídicos. Entusiasta do Direito e Processo do Trabalho. Membro da ANNEP - Associação Norte Nordeste de Professores de Processos e da ABDPro - Associação Brasileira de Direito Processual

Deixe um comentário